sábado, agosto 12, 2017

Buscas as palavras


Buscas as palavras.
Em frente de ti o mar,
sob um céu matizado de azul.
As sombras evadiram-se.
A luminosidade é agora
tua cúmplice e sorris.
O mar tem esse encanto
de penetrar os ramos dos pinheiros
e induzir a luz nos teus olhos.
As palavras brotam-te dos dedos
como seiva a despontar no lenho.
O mar recua e o vento
acena-te a liberdade.
                                                   
                                                         

Texto e foto
Ailime
08.08..2017


 

10 comentários:

  1. O cenário inspirador e a poesia ficou linda! bjs, ótimo domingo! chica

    ResponderEliminar
  2. Já tinha saudades tuas, querida Amiga. Espero que tenhas descansado.
    E aqui estás com um poema cúmplice das palavras que evocam o mar e a luz e que deixam no olhar esse azul tão belo e a vontade de ser livre...
    É lindíssimo o teu poema.
    Um beijo.

    ResponderEliminar
  3. Maravilhoso poema!!

    Beijinhos e bom Domingo

    ResponderEliminar
  4. Olá, querida amiga Ailime!
    Tenho andado inspirada e o mar em frente me ajuda muito... um belo poema que me acariciou a alma nesta hora da noite...
    Seja feliz e abençoada!
    Bjm de paz e bem

    ResponderEliminar
  5. Que beleza de poema, Ailime! Tinha saudades deles. A foto também está linda ! Ver o mar através dos pinheiros! beijinhos e feliz semana!

    ResponderEliminar
  6. E que gostosa liberdade sentir o vento afagar os cabelos e o visual penetrar nas retinas. Lindo poemeto!

    Dia azul amiga, desejo!

    ResponderEliminar
  7. E o amor inspirou_a na perfeição!!! Bj

    ResponderEliminar
  8. Bom que retornaste, Ailime! Faziam-me falta os teus belos poemas, amiga! Bem-vinda, boa semana.

    ResponderEliminar
  9. Poema belo, Ailime. Do começo ao fim encontrei beleza e leveza. A última palavra, "liberdade", concluiu maravilhosamente...

    Ser livre nas palavras e expressões é uma benção grandiosa...
    Bjs

    ResponderEliminar
  10. Há palavras que respiram por guelras
    Bj

    ResponderEliminar

«Sou como você me vê.
Posso ser leve como uma brisa ou forte como uma ventania,
Depende de quando e como você me vê passar».C.L.